21.1.08

pequena fábula das línguas

No tempo de antes, tudo era muito fácil e compreensível, porque só havia uma língua e as pessoas falavam bem claramente. Com o correr das coisas, das épocas e dos grupos, muito entretanto, cada um começou a falar da sua maneira, em separado. As muitas línguas separadas falavam, e os ouvidos malacostumados dispunham-se a entender apenas aquelas outras línguas que pareciam mais cabíveis e confortáveis. Eu sei que as vogais e as consoantes dividiram-se e reorganizaram de muitos jeitos, sendo os mais drásticos os casos do chinês e do alemão. Uma, só com as vogais. Outra, só com consoantes. As duas guardando em beleza e desavença o segredo dos sons deste mundo.

3 pessoas pararam por aqui:

Anonymous disse...

Só pra registrar: continuo lendo seu blog! =)
Beijos. Saudades.

Marcus Vinícius

aline disse...

obrigada pelas visitas e pelos beijos, marcus! :D

Marcelo Novaes disse...

Oi, Aline,

Você retratou com elegância a Babel das línguas.

Aqui está meu blog, pra vc dar uma conferida, se quiser.

http://olugarqueimporta.blogspot.com/


beijo,


Marcelo.

Postar um comentário

Diga lá.