11.5.08

dias frios e muito bons

No que me resta deste dia eu quero ver só o que é muito bonito, porque eu tive uma despedida com este frio que perdura e este céu cinza. Paulo foi, enfim, para o Rio de Janeiro. Mudou de endereço e vai ter de mudar muito mais, e eu também. Sinto que estou precisamente num ponto muito específico da minha vida, e que daqui a alguns anos eu vou me lembrar desta época como uma das mais felizes, intensas e marcantes. Mas, estranho: estar consciente disso é meio assustador. Temi por muito tempo que a felicidade viesse com a saudade, bem ao estilo "era feliz e não sabia"... mas, que nada, é paupável e comestível. E nem está ligada por um fiozinho a uma pessoa que amo (muito mesmo), mas às várias pessoas que amo (meus melhores amigos, que coincidentemente são da minha família próxima), e às coisas que eu faço que me são igualmente fantásticas e tomam demais meu tempo (embora às vezes eu ache que são um pouco cansativas e pesadas demais).
É, sim, vai ter um dia em que isto tudo vai ser saudade e, acredito, ainda terá um gostinho maravilhoso e uma impressão de que os dias passavam todos mais ou menos assim: bons, muitos bons. No que resta deste dia, eu quero ver só o que é momentâneo e (por isso) bonito, como esta foto de Eduardo Fahl. Como algumas das convicções e sentimentos que estão se firmando agora, na minha cabeça.

2 pessoas pararam por aqui:

Eduardo Fahl disse...

Aline,
Não imaginava merecer ter uma foto publicada em seu blog. Obrigado por mencionar meu site. Se quiser conhecer um pouquinho de meu texto, vá até http://www.revistabrasileiros.com.br/virtual/edicao_8/home.htm
Embaixo da página tem como ir até a página 15. Espero que goste.
Eduardo Fahl
eduardo@fotojornalismo.jor.br

aline disse...

Seja bem-vindo, Eduardo! é uma honra ter uma foto tão bonita por aqui... :)

Postar um comentário

Diga lá.