27.8.08

Randa Chahal Sabbag

Morreu Randa Chahal Sabbag. Sua biografia está disponível por aí, web afora. Eu não faria grande coisa se escrevesse mais uma dessas versões curtas. Sei um pouco sobre ela, vi alguns de seus filmes. Só o que posso e quero fazer é recomendar. Ela é incrível. Seus filmes são delicados, mas fortes. Fazem-me pensar que há ainda muito sofrimento no mundo, mas que até disso é possível que nasça alguma flor. Assim, ó:





"Queria fazer comédias, mas nasci numa região trágica. Assim, se a gente não di
z as coisas dramáticas com um pouco de humor, não acontecerá nada."




5 pessoas pararam por aqui:

Marcus disse...

Não assisti nenhum filme dela .
Algum muito famoso ?

Anonymous disse...

Há vários extremos: um é elogiar e/ou discutir Batman e similares; outro é falar de uma cineasta libanesa que quase ninguém mais conhece... Me lembrou amigos que tive que moravam em Pinheiros, não viam filmes americanos nem comiam no McDonald's.

aline disse...

Marcus, ela não tem muitos filmes não. O mais famoso dela é justamente o último: Sob o céu do Líbano. Esse é fácil de achar. Vale a pena Os civilizados tbm, mas não sei se tem disponível.

Anônimo, sem deixar de reconhecer a validade do que vc disse (de que há vários extremos), ouso perguntar: o que vc está querendo dizer exatamente? Que eu sou um dos extremos? Pq eu tbm curto filmes blockbuster. Vi e gostei do Batman. Assisto a Randa com um prazer diferente de quando vejo as comédias românticas, mas eu acho que há espaço pra tudo e todos. Eu só elogiei a Randa, que, a despeito de ser conhecida ou não aqui no Brasil, é uma boa cineasta. Sabe o que eu mais gosto nela? Ela foge a estereótipos. Coisa rara, beeem rara hoje em dia.

Anonymous disse...

Há vários jeitos de se ler qualquer coisa. E há vários jeitos de ser um estereótipo, pois afinal há estereótipos e estereótipos. Sua postagem apenas me lembrou, por exemplo, uma amiga feminista que fazia questão de ser independente e que uma vez vi na capa da "Revista da Folha" - só que não era ela, era uma moça vestida igualzinho a ela (óculos, cabelo e tudo), ilustrando uma reportagem sobre os descolados de algum lugar de São Paulo. Eu não lhe conheço, a não ser por algumas postagens de seu blog, e vc não me conhece, já que eu sou "anônimo", e assim fica difícil qualquer um dos dois fazer um julgamento justo sobre o outro. Não estou lhe julgando, pois: apenas escrevi o que sua postagem me lembrou... E, para dizer a verdade, embora eu tente ser bem informado (assino dois jornais e leio vários blogs), nunca ouvi falar em "Randa", a não ser aqui: ponto para você.

aline disse...

então, tá. =)

Postar um comentário

Diga lá.