3.11.08

relatos paulistas em terras cariocas: I

Eu não ia escrever esse post. Mas aqui vamos nós. Enquanto não achamos a casa certa pra morar, vamos morando nas erradas.
Então alugamos um conjugadão em Copacabana, sem vaga de garagem. Tivemos que pagar pra deixar o carro na garagem do prédio, que cobra bem caro. Aí depois de uma semana sem sair de carro, a gente sai no sábado de manhã pra ver mais apartamentos, e descobre na garagem que o som foi roubado. Aí os caras da garagem dizem que a gente está mentindo. Aí a gente diz que eles de desonestos (efusivamente, e numa variedade de vocabulário). Aí a polícia demora 4 horas pra chegar. Quatro horas, só. Mas eu nem reclamo. Porque uns 5 ou 6 caras começam a rondar a rua e olhar muito pra mim e pro Paulo. Eu nem queria ter raiva da polícia t a m b é m, naquele momento. São aliados, são aliados... Quando chega a polícia, mais bate-boca no estacionamento. O cara teve a desfaçatez de dizer que se fosse roubar um som, roubaria um valioso, e não de um carro pobre que nem o nosso. X u r o, eu tive que ouvir essa. E o guarda diz que a gente não vai conseguir provar. Os caras não tem CNPJ, sistema de segurança, seguro. Mas eu não posso dizer que tinha um som no carro e que paguei uma vaga de mensalista pra proteger essa droga de carro que vai ser parte do pagamento da casa. Fomos à delegacia, mas o investigador nos desencorajou mais. Disse que não dava pra provar nada. A gente teve que se conformar. E percebemos que o clima no prédio já não era tão bão pra nóis. Pois a gente ameações processar os caras, e eles já fazem uma coisa ilegal, etc, etc. Toca mudar, o prazo já tava vencendo mesmo. Em Niterói, não achamos apartamento pra temporada. Aí a gente teve que ficar num hotel porque já era noite e a gente não tinha onde dormir. E ainda era sábado, meu deus. E hoje a gente ficou na rua o dia todo, procurando apartamento. E depois achamos um apartamento pra temporada de um velhinho que nos cobrou 3 vezes o que realmente podíamos pagar, mas era nossa última opção pq a gente não tem mesmo onde dormir e hotel é muito, muito caro. Então estamos sem o som no carro, trez veses mais duros de grana e mais cansados.
Eu não ia escrever esse post. Mas agora há pouco, fui acordada com os gritos dos vizinhos, dizendo que era pra chamar os bombeiros e alertando que havia um i n c ê n d i o no prédio. Eu senti um cheiro forte de queimado. E vesti o que deu: uma calça social, com a blusinha do pijama eu já estava. Peguei a bolsa, porque depois daquele assalto em agosto eu aprendi que ficar sem documentos é r u i m. Na verdade, ficar sem documentos não fez lá muita diferença. Tirar a segunda via é que é um saco. Pior que o incêndio, pior que o próprio assalto. Desci descalça mesmo. O mais marcante é que quando eu acordei o Paulo pra dizer do suposto incêndio, ele só conseguiu dizer: ah, como é que eu vou contar i s s o pro pessoal do escritório? É abusar da confiança!!!!!
O incêndio, afinal, era no prédio vizinho. Nada grave, sem feridos. E está chovendo, agora. Deve ser bom sinal, porque água lava tudo. O Paulo já está dormindo, de novo. Eu, não. Eu precisava escrever esse post antes. Pra encerrar à força esse fim de semana. C h e g a. Boa noite, gente.

7 pessoas pararam por aqui:

Camila disse...

Aline, não vou te dizer pra ficar calma que podia ser pior porque de fato acho que vocês estão muito próximos do limite suportável da ruindade habitacional. Isso, vindo de uma pessoa que também esperou 4 horas pra fazer um B.O. (será que tem algum estudo explicando o sentido cabalístico do 4 para a polícia civil??), deve querer dizer alguma coisa. Ah, sim - e eu também já perdi perto de quatro horas uma vez por conta de um som roubado em estacionamento. Só que, diferentemente de vocês, tive um final feliz, consegui recuperá-lo. Mas voltando ao que importa. Recentemente passei por uma situação tremendamente difícil aqui em casa - tão difícil que nem deu pra escrever no blog, só as pessoas mais próximas ficaram sabendo. E sabe o que mais me confortou? Longe de pensar que "podia ser pior", tranqüilizou-me saber que, ao contrário, a partir de determinado ponto as coisas não poderiam ficar piores - porque se ficassem, eu não iria suportar, e mudaria de casa. Não sei se esse tipo de raciocínio te ajuda ou conforta - pensar que, se tudo continuar dando errado, vocês voltam pra SP, ué, e daí? E não estou dizendo que acho que você tenha de voltar a SP imediatamente, mas apenas lembrar que há um limite até onde as coisas podem piorar. Espero que este longo desabafo não tenha soado por demais pessimista ou confuso. A idéia era lhe infundir um pouco de esperança, juro! Só não sei fazê-lo pelos métodos tradicionais. :) Beijos, fique bem e, precisando, volte a gritar!

Thiérri disse...

Pense que no final... tudo isso vai render um bom livro e um bocado de dinheiro... aí vocês mandam o Rio, para a puta que pariu!!!

aline disse...

Obrigada Camila. Muito obrigada. Um abraço.



Thi, vc deveria mudar pra cá tbm. Avisa a May, faz as malas e vem! :)

bjos

Thiérri disse...

Claro!!!
Sempre morri de amores pelo Rio... depois que eu conheci e que você passou a contar suas magníficas aventuras aí... minha vontade de mudar para essa merda de estado só ampliou!!!!

lu disse...

ish! começou cheia de aventuras, a vida por aí!
eu penso como o thierri, ahahahaha

mas acho que assim de começo tem mais chance de ser difícil do que de ser fácil. tou aqui torcendo por você e pelo paulo, boa sorte, que o pior já tenha passado e que que vocês achem *a* casinha de vocês em breve!
beijo beijo, querida!

Alex Castro disse...

muito obrigado pelo link... hmm... estou vendo q sao amigos da camila... e fazem o que lah na minha terra?

aline disse...

oi lu!! o importante é não pegar birra da cidade ou das pessoas que moram aqui por conta das aventuras. acontece em qualquer lugar e eu acho que ser estrangeiro inclui estar sucetível a roubadas. Nós passamos por poucas e boas emquanto moramos em Salvador. E eu passei por poucas e boas em Paris também...

Aliás, to começando a achar que eu sou meio azarada... =D

Oi Alex!!! Estamos no Rio pq o Paulo conseguiu um emprego super legal aqui e nós decidimos morar juntos, de vez. E escolhemos ficar em Niterói, o resto eu vou contando no blog!!! :)

bjos a todos

Postar um comentário

Diga lá.