30.12.08

da passagem

Uma vez um aluno meu contou que em uma tribo indígena em algum lugar destas américas (perdão, isso é antes um causo, não um dado antropológico - não tenho nenhuma referência mais precisa, nem vocês terão) o gestual relativo à passagem do tempo é diferente da nossa. Pra nós, que vivemos e pensamos no presente, o futuro é algo que está adiante, que guarda nossa caminhada vindoura. Um futuro pela frente, não é assim? O contrário a isto, ou seja, o passado, é por sua vez aquilo que ficou pelo caminho, que se aloja às costas e longe dos olhos. É necessário virar-se pra trás e voltar no tempo para recuperar aquilo que já passou. Nossa percepção temporal é assim, se molda assim. Influencia na nossa maneira de lidar com as instâncias da vida: o que foi, o que será. Estar com os olhos e pensamento voltados para o futuro costuma ser mais aconselhável e natural do que fixar-se no passado, insistente e melancólico. Mas eu estava falando daquela tribo e não desta, certo? Então. Meu aluno dzia que para eles o futuro é o que está atrás. O passado é o que se desenrola à frente dos olhos, aquilo que se vê porque se conhece. O futuro, este desconhecido, não é claro ou previsível, é sempre um mistério. Você não verá um selvagem desses dizer que o passado ficou pra trás. Ou que um futuro brilhante o espera lá na frente. Pelo contrário, você o verá cauteloso e quieto, guardando os pedaços da sua história diante de si, sem que a vista tenha lá outro ponto de fuga.
Nesse momento, é exatamente assim que eu me sinto. Parece que eu tenho o ano inteiro estendido na minha frente, cada uma das coisas que eu fiz esse ano. Foram várias. Acho que entre o principal, está minha decisão de colocar as questões acadêmicas em segundo plano para transformar a vida pessoal completamente. Morar em Salvador, e depois vir pro Rio com o Paulo foi uma aventura. Está sendo. Passamos por várias encrencas, mas eu gostei muito. Não sei quase nada do que pode acontecer em 2009. Agora que a mudança é defintiva, imagino que eu vá concluir o mestrado, mobiliar a casa, conhecer o bairro e me habituar à vista da cidade. Mas que sei eu do futuro, esse desconhecido que me pega de surpresa pelas costas?

Acho que as postagens de 2008 acabam aqui. Só terei tempo pra cuidar desta passagem, este ritual de fim e começo de ano de que gosto tanto. Há distâncias a percorrer e pessoas a visitar. Faço meus votos de um bom réveillon pra todo mundo. Espero que cada um faça sua própria orgia, do jeito que lhe convier melhor.

2 pessoas pararam por aqui:

lu disse...

que legaaaaal
e faz todo o sentido, né, já que a gente não sabe do futuro, ele estar atrás e tal. fantástico.
bom 2009, lindona, que tenhamos um ano feliz!

aline disse...

Legal, né?
Também adorei. Achei que fazia até mais sentido, etc.

Um ótimo 2009 p vc tbm, querida. Bjos!

Postar um comentário

Diga lá.