8.6.09

são demais os perigos desta internet

Então a Fnac (via Trezentos) assume a ponta aguda da lança da vanguarda e faz uma promoção pra lá de especial: responda à pergunta "O que você faria para proteger a pessoa que você ama dos perigos da internet?" de maneira criativa e ganhe um jantar. É um loosho só essa promoção minha gente, porque além de atualíssima ela é conscientizadora! São demais os perigos dessa vida pra quem tem conexão, cantaria Toquinho. Santo Azeredo que nos proteja! Nós do Jusqu'ici tout va bien, numa vibe totalmente cidadão-de-bem, arriscamos algumas respostinhas espirituosas, que é a especialidade da casa. O Terraço Itália é o limite!

- Eu pediria para ela não andar pela internet depois que escurecesse, porque é mais perigoso.

- Eu jogaria fora o mp3player dela, porque aquilo é uma maquininha de cometer delitos.

- Aliás, o mais seguro é deixar de gostar de música.

- Eu pediria para ela cancelar a conta de e-mail que ela abriu com o apelido dela, porque é agravante.

- Eu pediria a ela para usar cinto de segurança na banda larga.

- Eu sugeriria que ela nunca citasse alguém no blog dela.

- Aliás, é melhor esquecer aquela suruba indecente e caótica de transmissão de dados que é a blogosfera.

- Eu deletaria todos os programas p2p herdeiros do Napster, que isso é coisa de anarco-terrorista.

- Eu diria que o pendrive serve como um ótimo chaveiro.

- Ou colar. Ou amuleto.

- Eu pediria pra ela olhar para os dois lados antes de conectar, pra não ser atropelada por um navegador embriagado.

- Eu explicaria que se ela gosta da Madonna, tem que pedir autorização pra ela (a Madonna) antes de montar uma pasta de fotos no computador.

- Conexão, só com camisinha.

- Eu explicaria que se ela gosta das obras do DaVinci, é melhor tentar fotografar tudo pessoalmente no museu do Louvre antes de fazer uma apresentação do powerponit.

- Pedir autorização do DaVinci numa mesa branca também é uma precaução. Em último caso, contactar seus descendentes.

- Eu pediria para ela não receber feeds de estranhos, nem aceitar doces, balas ou drinks na internet. Podem conter ingredientes maliciosos e ela acaba sem um rim ou um diretório.

- Eu pagaria cursos e mais cursos de língua estrangeira pra ela nunca mais precisar daquelas legendas (arg! eca!) independentes.

- Oh, não, não será preciso. Filme, só no cinema ou vindo das lojas Americanas. E mesmo assim, melhor não ler resenhas em portais e (arg! eca!) blogs.

- É melhor conhecer os pais e amigos de alguém antes de seguir um link por aí. Vai saber que caminhos escusos essa pessoa te fará trilhar.

- Eu cancelaria o acesso à internet.

- Aliás, eu já cancelei o acesso à internet.

- Por via das dúvidas, eu aposentaria o computador. Esse negócio de mundo digital pode ser perigoso demais.

Nota dos editores: Se o teor de non-sense de algumas respostas for demais para vosso gosto, a culpa é do Azeredo e não nossa. Aliás, considerando o andar das carruagens, receamos que em breve as palavras "share and enjoy" significarão "chore e enjaule". (fuéeeennnnnn) Tá, tá, paramos.

14 pessoas pararam por aqui:

aline disse...

não é? corram para as montanhas. e que lá não tenha wireless!

Mariê disse...

hahahaha

adorei, Aline. A la regina duarte: medo.

Essa intenet é realmente uma corruptora. Tranquem seus filhos. Numa casa sem acesso à internet, é claro.

Beijo

aline disse...

- Guga, vc nos deixa sem opções. Espero que ainda haja cavernas pra gente poder levar uma vida livre de cibercrimes.

- Kelly, \o/

kelly disse...

hahahaha, amei, amei, amei. Genial :-)

gugaalayon disse...

correr pras montanhas? E o bondinho? é wireless?

gugaalayon disse...

hahahahaha

aline disse...

hahahhahaha

Ulisses Adirt disse...

“Eu colocaria uma tarja no rosto dela.”. Podem chamar de non-sense o quanto quiserem, eu não vou explicar a piada.

lu disse...

hahahahah esses comentários tão bons como o post.
Eu acho que seu amigo devia mandar - o juri não deve ter bom senso, mas vai que ganha e ele fila um rango no terraço itália? eu dava o prêmio pra ele na hora.

aline disse...

nossa, eu ri muito da “digitação com o nariz”… hahahahhahahaha

um amigo meu me mandou um mail dizendo só isso: “eu não sou Indiana Jones nem Homem Codorna pra salvar ninguém de nenhum perigo”.
Uma promoção que desencadeia o non sense nas pessoas é, no final, uma boa promoção…. :D

Diego disse...

Consegui um furo pela Folha de São Jorge (periódico de pouca monta, e de uma credibilidade fantasmagórica):

“Guiado por nossos editores (sempre à frente do seu tempo), eu, bem como tantos outros jornalistas da Folha, já pomos em prática há muito a proteção de nossos amores dos perigos da Internet através de algumas medidas, tais como: *adoção de um flitro que permite que apenas sites iniciados com as palavras Veja, Folha e Globo sejam acessados; *uso de garrotes educativos em nossos amores em caso de rebeldia; *trocar o monitor do PC por uma tela de TV com sintonia única em um canal muito educativo, qual seja, a TV Globo e, por fim, deixar nossos amores compleamente amordaçados, com o PC à sua frente (SEM FILTRO, AIFINAL, PREZAMOS PELA LIBERDADE) e lhes damos a possibilidade de acessar a internet pela digitação com o nariz, caso consigam se livrar da pena de urubu que deve-se roçar constantemente em suas narinas;

Depois das medidas adotadas, todos nós nunca mais tivemos problemas de relacionamentos em nossas casas.”

E ainda há quem goste…

aline disse...

ai minha nossa… eu lembrei de um verso que diz “o mundo não me assusta, o mundo só me insulta”… é do skank. não é nobre, mas é muito adequado o verso!
hahaha

He will be Bach disse...

Essa linda promoção tem ecos daquela declaração tonta do Hélio Costa (vejam no Hermenauta): de fato, nossos respectivos amores precisam é desgrudar da internet… E grudar na televisão.

aline disse...

concordo, concordo. ganha o jantar e leva eu no terraço itália, né? vou já responder pra ele.

Postar um comentário

Diga lá.