3.8.09

das minhas 50 coisas


Acho irresistível não embarcar na própria enumeração de coisas que eu gostaria de fazer antes de morrer; eu, logo eu, que amo fazer listas. Tal como a de Perec, minha lista não conta apenas com empecílios de cronologia, alguns dos itens são financeiramente impossíveis mesmo. Outros, pura preguiça. Minha lista de coisas que gostaria de fazer antes de morrer, agora, me parece muito pouco relevante, e assim como Perec, não somei 50 itens. É uma lista inacabada, a minha. Mas tudo bem. É só pra começar bem a semana.

Eu gostaria de ter levado adiante meus projetos infantis de ser desenhista e roteirista de histórias em quadrinhos, (a princípio, no estúdio Maurício de Souza). Eu estava tão certa de que assim seria que nem lembro mais onde foi que eu virei à esquerda e abandonei o plano original. Gostaria de ter conhecido meu avô, que morreu quando meu pai tinha 13 anos; eu gostaria de ter podido dizer a ele que não era preciso se desesperar e morrer como morreu. Gostaria de ter participado da equipe de Jacques Coustau e da manifestação estudantil em 1968, na França. Eu gostaria de ter pichado uma daquelas frases na Dôme des Invalides. Há coisas que não são cronologicamente problemáticas. Eu gostaria de ter um filho adotivo e passear com ele pra tudo que é canto e mostrar a beleza de diferentes cidades e pessoas. Quero mostrar literatura e música pra ele também. Gostaria de aprender a tocar violão, saxofone e gaita. Eu gostaria de mergulhar e ver pessoalmente os recifes, aqueles peixes e seres marinhos incríveis. Eu também observar uma baleia de perto, mas sei que ficaria assombrada. Gostaria de acompanhar, pelo menos uma vez, um grupo de ativistas ambientais, de preferência The Yes Men, mas acho que morreria de excitação antes de tudo. Adoraria dançar e dublar uma música do ABBA com alguns amigos, mas não imagino em que ocasião isso seja possível. Participar de um flashmob musical também não seria mau. Queria aprender a falar chinês e alemão. Queria aprender a fotografar profissionalmente e treinar boxe. Quero pintar o cabelo de azul, ou vermelho quando ele estiver com cachinhos curtinhos. Preciso aprender a dirigir antes de morrer, mas disso eu não faço muita questão. Gostaria de participar da produção de um curta do Wong Kar-Wai., qualquer trabalho na equipe serve. Gostaria de trabalhar em escritório, com carga horária fixa de 8 horas diárias, pra saber se é isso que me falta pra ser realmente disciplinada. Dando certo ou não, volto à minha rotina irregular e posso morrer mais tranquila e ciente dos meus limites. Gostaria de morar numa casa e ter um jardim e uma horta. Passar uma semana assistindo cinema mudo, especialmente filmes do Chaplin. Viajar de modo geral. Com o Paulo, pra um país de língua inapreensível. Com o Fi e a Dani, pra Argentina ou Chile. Fixar moradia por um tempo, em um país de língua mais ou menos fácil de aprender. Mas eu gostaria de morrer em São Paulo, mesmo, pra ter mais chances de me despedir de quem eu gosto. Gostaria de descobrir de que país da África vieram os antepassados do meu avô.


A imagem é de Jen Corace.

28 pessoas pararam por aqui:

Arthur disse...

Olha só, não é que era sobre isso que eu estava rabiscando esses dias? Mas o que me impressionou foi o projeto Maurício de Souza, que também foi o meu sonho de criança...

aline disse...

ah, coincidência. esse post tava pronto, mas foi atropleado por assuntos urgentes! :D

acho que muita criança sonhou em ser desenhista do Maurício. Pra mim foi uma coisa séria, eu treinava, fazia roteiros, pensava nos desenhos que ia mostrar pra ele pra conseguir um estágio aos 16. :)

Arthur disse...

Ah, que puxa! Pena que a gente não se conhecia nessa época, eu tinha um professor que servia de contato no estúdio do próprio. Eu lembro que desisti pq conseguia desenhar qualquer coisa, exceto os personagens do Maurício... enfim.

aline disse...

Nooossa!
Eu desenhava super bem, fazia a turma direitinho. Que eu me lembre, desisti qdo me apaixonei por matemática e pensei fazer ciencia da computação, aos 13, com um portifólio montadinho.

pena, pena.

:****

Haline disse...

Oba, post novo! Eu sempre desenhei mega mal. Sério, era sem noção, daquelas crianças que pareciam ter problemas mentais e pintavam fora do desenho sabe como? Enfim. Agora música do ABBA, eu tinha até um video, que se perdeu por ai. rs Eu fiquei pensando numa listinha dessas qdo vi um filme bobo do jack nicholson, acho que é "antes de partir". Das coisas q eu mais quero fazer: morar um tempo fora, escrever um livro, voar de asa delta e montar um projeto social (arte e esporte). Ah, fazer uma incursão latina, tipo o Che. Isso eu acho que vou fazer ano que vem. bjobjo

Kelly disse...

e não se transformar naquilo q seu amigo teme
http://www.interney.net/blogs/gravataimerengue/2009/08/04/quarentona_decadente_aprenda_a_evitar/

aline disse...

Haline - eu aprendi a ler e desenhar por causa da turma da monica. cebolinha e cascão são parte da minha mitologia particular. a-mo. :)
Eu vi esse filme, é bem clichezinho, sem surpresas, mas eu amo o elenco então vale a pena. E eu associo mesmo o filme com a lista do Perec. Gostei dos seus itens. :***

lu disse...

que post fofo! várias coisas aí que também quero fazer. quem sabe faremos juntas? \o/
:*

aline disse...

Lu - pode ser. Vc dublaria uma música do ABBA? (*explosão de risos*)

:******

aline disse...

Kelly - minha lista está incabada, mas não é aberta pra galere palpitar, não. faça vc a sua, e aí vc inclui os temores alheios a evitar. de preferência no seu blog ou no blog de um amigo seu. grata.

Gravata disse...

Nossa, acabei de publicar o texto e a Kelly já o leu e, mais ainda, indica para os outros!

Espero, de verdade, que seja uma indicação positiva. Afinal, trata-se de uma sugestão bacana: as pessoas precisam assumir seus erros para que, aos 40 (ou em qualquer idade, tanto faz) não sintam o peso de tê-los ignorado.

Uma coisa simples, boba até. Mas talvez complexa não somente pros que têm dificuldades exegéticas, e sim também principalmente aos que incorrem na falha apontada no texto.

Pelo pouco que conheci da Aline - e também da lu - seguramente não é o tipo da "aulinha" que precisaria dar a elas; duas lindas.

Beijo.

aline disse...

hahahahahahahahha

Gravata, vc viu? Povo fica com a sua página aberta, dando F5, pra saber qual é o próximo texto. Mas não lê, dá uma batida de olhos no título e sai resmungando.
A propósito, li o texto, gostei, e reconheci tanta gente. Que ficou amarga e acha que da vida nada mais se tira, antes, arranca-se na força. Uma pena.

Obrigada pela visita e pelo elogio. De novo. :***

André Gonçalves disse...

gostei disso.
posso fazer um parecido?

:cp

aline disse...

mas claro. :)

Anonymous disse...

que delícia de ler essa lista, Aline. Amei. Ainda desenha? posta alguma coisa ai pra gente ver. E Wong Kar Wai heim, nem me fale.
Faz assim, vai riscando o que for concretizando, como faço quando vejo os filmes da minha lista rs.
sayonara
madoka

aline disse...

Madoka, eu rabisco um pouco, mas perdi a mão. Consigo fazer pessoas, alguns animais, paisagens. Se eu achar algum dos meus desenhos, eu posto sim. Tá tudo na casa da minha mãe, como relíquia. :D

Wong Kar Wai é deus no meu mundo. deus.

Eu posso até riscar qdo for concretizando, mas com o tempo a lista aumenta mais, muda, etc. :)

Sayonara, querida
:***

Iara disse...

Aline, eu trabalho em escritório, 8horas por dia. E era muito mais disciplinada quando era professora ;)

Haline disse...

ah, esqueci de dizer: não queira trabalhar em empresa 8 horas por dia. é um saco. ninguém quer. é obrigado. sério, não faça isso. senão vai ter listinha de arrependimentos. rs ps.: encontrei o audio em q canto abba e mano chao. vai saber o que se passava na minha cabeça na época. mas o video se perdeu mesmo.

aline disse...

Sério, Iara? Então provavelmente já era pra mim. :)


Haline, não é o tipo da coisa que eu queira. É curiosidade mesmo, de saber se eu me adaptaria melhor, se organizaria melhor as coisas. Paulo trabalha nesse esquema e não acha ruim de tudo não.
hahaha ABBA e Mano Chao?? Que demais!!

Arthur disse...

Quando eu era criança meu pai às vezes me levava para trabalhar com ele, sendo motorista, então basicamente ficávamos passeando pela cidade, mas vez ou outra era necessário passar um tempo no escritório.
Sentado em uma das mesas vagas, lembro que via una pilha de folhas datilografadas, o grampeador, o pote de clipes e as pessoas horas a fio sentadas tomando café e trabalhando, e pensava: deus, esse é o último emprego que eu gostaria de ter.
Obviamente foi o tipo de emprego que eu consegui.

aline disse...

Minha mãe trabalhava numa revista, num setor com uns artistas, pranchas de desenho, muito lápis de cor e fotos. Eu adorava. E minha tia tinha uma micro-empresa no fundo da casa dela, e eu usava o escritório dela como se fosse meu, e curtia até. Minhas impressões de escritório na infância eram super legais. Mas ficaram na infância tbm. :)

Daniele disse...

Oi, Aline,
Adorei a sua lista. Mas, de tudo, o que mais me tocou foi sobre o seu avô. É que, se fosse possível voltar no tempo, eu gostaria (como gostaria!!) de dizer ao meu pai (que eu conheci muito bem, e que amei mais ainda) que não era preciso se desesperar e morrer como ele morreu...

Iara P. disse...

Pois é Aline, eu achava que era a única adulta do universo sem carta de motorista. Seu post me reconforta muito, vale por uma sessão de massagem anti-stress, rsrsrsrs.
Se quiser alguém pra dublar o ABBA, conte comigo. Meu lado brega agradece!

aline disse...

Ah Daniele, eu entendo. :**



Iara P., eu já tentei aprender, sei dirigir precariamente. E tvz eu tire carta por uma questão de segurança, se um dia precisar dirigir e não tiver mais ninguém pra fazer isso. Mas eu protelo até quando puder. hahaha

Olha, eu assisti Mamma Mia e meu lado dubladora brega, que estava adormecido desde o fim do Show de Calouros, despertou e disse que veio pra ficar. Vc tá na lista! hahahaha :D

Iara P. disse...

Fim do Show de Calouros, kkkk, isso pode ser muito reveledor sobre a idade das pessoas. Só falta dizer que você assistia Domingo no Parque e quis ganhar a "tão sonhada bicicleta". Bjs!

aline disse...

ihh esse eu não via não. mas o show de calouros, com flor, wagner montes, elke maravilha, pedro de lara, sonia... vixe. cantei muito no banheiro pensando neles qdo criança. :)

ahhahahaa

Carolina Bataier disse...

sabe que senti vontade de fazer uma lista tbm.

aline disse...

pois faça! :)

Postar um comentário

Diga lá.