9.8.09

dos nomes próprios em Asterix le Gaulois



Quem me apresentou a dupla Asterix e Obelix foi meu pai, ainda na minha infância. Ele assistiu a um dos longa-metragens aos 16 anos e desde então ficou apaixonado. Acho que eu sei as falas de Asterix entre os Bretões e A Surpresa de César de cor, tantas foram as vezes que nós alugamos as fitas para assistir em casa. É bem o tipo de humor que agrada meu pai, e acho que nada o faz gargalhar mais sonoramente do que ver os romanos tomando uma surra do Obelix. Claro que meu pai também sabe as falas todas, e eu ainda tenho esperanças de ver esses dois filmes saírem em DVD, porque quero demais dar de presente pro meu pai. Assistir de novo do lado dele e tal.
Quando eu comecei a estudar francês, esses gauleses eram uma das minhas principais referências afetivas com a língua e a cultura, o assunto sobre o qual eu tinha muita curiosidade em descobrir mais coisas pra poder contar e mostrar pro velho. Eu fiquei especialmente encantada pela bande dessinée (os quadrinhos) Asterix le Gaulois, que é anterior aos filmes, pois além do senso de humor familiar e adorável, deparei-me com uma criatividade deliciosa na representação da língua francesa, dos dialetos e sotaques de outros povos. Eu também descobri e entendi melhor algumas piadas, como por exemplo os nomes dos personagens. A coisa toda estava em usar o -ix no final dos nomes próprios, que era mesmo característico na região da Gália, mas claro que isso foi usado da maneira mais caricata. E foi assim que Asterix surgiu como um trocadinho de astérisque, o símbolo gráfico *. E Obelix, de obélisque e Idefix (o cãozinho Ideiafix) de idée fixe. Esses trocadilhos, claro, a tradução em português consegue manter. Acho que Panoramix também nos é transparente, dá pra lembrar de panorâmico, ou em francês, panoramique. E há o chefe da aldeia, Abracourcix, no original, Abraracourcix. O nome dele usa a expressão francesa "à bras raccourcis", que significa [fazer algo] com violência, golpear fortemente. Mas raccourci também significa "encurtado", "reduzido", e é engraçado pensar naquele pequeno e roliço homem, com seus braços e pernas curtos, tão poderoso e brigão quanto pode ser um gaulês munido de poção mágica frente às tropas romanas. A lista é longa, e felizmente há gente fã o bastante para relacionar até mesmo os figurantes que aparecem na BD; e numa passada de olhos já é possível notar vários nomes de gauleses, romanos, belgas e germânicos engraçados. O ferreiro brigão que vive implicando com o peixeiro, cujo nome português desconheço, se chama Cetautomatix, que vem de "c'est automatique": é automático. O peixeiro, aliás, se chama Ordralfabetix: order alfabética. E o ancião, que aqui chamamos de Geriatrix, originalmente se chama Agecanonix, ou seja, idade canônica. Essa relação entre os nomes e as personagens, tão comum nas obras de ficção de tudo que é gênero, aqui é usada como detalhe cômico, e talvez eu seja muito fã, mas divirto-me demais com isso. Meu trocadilho preferido está no nome do músico da aldeia, Chatotorix. O tradutor para o português preferiu criar um novo nome para o personagem, por motivos que eu entendo, mas desaprovo. O nome original do desafinado trovador é Assurancetourix, numa referência à expressão "assurance tous risques", usada como jargão de seguradoras: algo como "seguro contra todos os riscos".


Enfim, é dia dos pais e não vai dar pra eu abraçar o meu, muito menos assistir Asterix entre os Bretões com ele, que é minha versão de um dia dos pais totalmente bem sucedido. Só pra você saber, pai, hoje em sua homenagem eu pego uma garrafa de vinho e solenemente direi: aaaaaaabrir!... meeeergulhar!... beeeeeeber!... aaaaavançar!
Por Tutatis, ah, se vou.

7 pessoas pararam por aqui:

Mauro disse...

RICA, adorei o seu post.Realmente nunca me esquecerei do dia em que assisti a esse filme no cinema.Só uma correção: eu tinha 6 anos de idade. Tb me recordo de quando vcs ainda eram pequenos e eu alugava as "FITAS" p assistirmos tds juntos, eram tempos lindos...ainda assistiremos tds aos dvd's qdo lançados. Bjs. ah, tb tomamos vinho no almoço, e do porto.

edi disse...

Li, é delicioso a gente perceber que pequenas coisas nos deixam muito, muito felizes... lembrar desses momentos foi uma delas! Saudades, bjs

rinapri disse...

amo Asterix e toda turma. Adorei a explicação de todos os nomes, coisa que sempre observei. Meu nome favorito também é do Chatotorix... e dei uma passada no Submarino, olhe, lá tem alguns DVDs!!! me cocei pra comrpar :P
http://www.submarino.com.br/busca?dep=%20&y=0&q=asterix&x=0&group=236570

Arthur disse...

Logo que eu comecei a ler, depois de um minidicionário Aurélio, Asterix e Obelix foi um dos primeiros livros que meu pai me deu. =D

aline disse...

Ah, pai escrevi pra vc. Beijos, muitos beijos e vc e na mãe. :D

rinapri: o nome chatotorix é legal, tbm, mas eu embirro e prefiro o original. esses dvds q vc viu no submarino eu tenho, mas não são tão bons quanto os dois longas que eu mencionei: a surpresa de césar e asterix entre os bretões. uma pena mesmo.

Arthur, seu pai sabe das coisas. :)

Danilo Albergaria disse...

Que texto delicioso, Aline!

aline disse...

Ooi!! o/

Que legal vc aqui. hahaha.. to falando bem de vc o dia inteiro.

e obrigada, Danilo.

Postar um comentário

Diga lá.