2.10.09

do que aconteceu com ela

roman-polanski-wanted-and-desired-2008-28-03-2008-11-g2

Foi estuprada.
Minha solidariedade e empatia nunca serão pro estuprador. São pra ela.

 Sempre pra elas.


(Tem gente que diz "mas ela perdoou". É. A mãe da Eloá também perdoou o Lindenberg. Nós estamos bem com a morte da menina, então? Como é repulsiva a falta de sensibilidade, às vezes.)

24 pessoas pararam por aqui:

clara disse...

é exatamente o que eu venho falando: minha empatia nunca é pro estuprador. não há o que acrescentar.
beijos

lu disse...

eu tou boquiaberta com essa história.

é impressionante o depoimento dela, acho que não tem como ler aquilo e não se comover - e tem gente que não se comove: o polanski é foda e pode estuprar quem quiser.

pô, não tem essa relação de causa-consequência: ele ter estuprado a menina não implica que seus filmes são uma bosta, nem seus filmes serem bons não implica que devemos inocentá-lo.

e é né, gente, ele não *transou* com uma menina de 13 anos, ele *estuprou* uma menina de 13 anos. Quer dizer, ainda que você ache que um cara de 43 anos pode apenas "transar" com uma menina de 13 - o que te deixa em desacordo com a lei e com o bom-senso -, ainda assim o depoimento dela deixa claro que se tratou de um estupro. não há dúvida nenhuma aqui.

impressionante como o estuprador consegue mover a solidariedade das pessoas em detrimento da empatia por uma garota estuprada aos 13 anos. Oras, a gente sabe muito bem O QUE direciona a simpatia das pessoas assim a favor do polanski, contra toda a razoabilidade: machismo. aquela coisa contra a qual o feminismo luta.
ai, desculpa. é que tou boquiaberta mesmo.

Marcus disse...

Não foi a Eloá que perdoou, nem tinha como, foi a mãe dela. O caso da moça estuprada pelo Polanski é diferente. A vítima, além de ter perdoado, pediu que a promotoria e a imprensa esqueçam a história, pois o fato de ela ser levantada a todo momento lhe causa sofrimento.

Então, no caso, a minha empatia com ela me manda defender que Polanski seja libertado e que o caso seja esquecido para sempre. Infelizmente isso não acontecerá.

Não sei por que você, a Mary W e tantas outras jogam fora o argumento do perdão dela de forma tão apressada. Não vi até agora nenhum motivo para que isso seja desconsiderado.

aline disse...

clara, é pra mim a questão é muito essa.

lu, eu não tinha muito o que dizer. pq eu achei mesmo que estupro era uma coisa sobre a qual as pessoas, pelo menos nesse nosso universo comum da blogosfera, já tinham um acordo mínimo. de que é um crime, de que é uma das maiores violências contra a mulher. mesmo em casos tão polêmicos e discutíveis quanto o Henrique Goldman. Mas enfim, é superficial mesmo. Defender o cara pq suas obras são geniais. Essa separação entre inteligência, criatividade e caráter já foi feita há tempos. Recair sobre ela, transferir a admiração por um artista à sua vida pessoal é ridículo.

"a gente sabe muito bem O QUE direciona a simpatia das pessoas assim a favor do polanski, contra toda a razoabilidade: machismo." - perfeito.

Que pedir desculpa o que, ow. tá doida? :)

aline disse...

Marcus, é claro que vc sabe pq eu estou defendendo o que defendo. Não é uma postura incompreensível, né?!

Pra começar, não é só em proteção à vítima que o criminoso é preso, é em proteção à sociedade. O sociopata estuprador é preso não porque a vitima o quer, simplesmente; eu não quero ser vizinha de estuprador, não me interessa se a vítima do estupro está ok com o fato de ele não estar preso. Um bom jurista pode explicar isso bem, mas basicamente, é isso. Ele estuprou e isso é errado, independentemente do que diga a vítima hoje. Estuprar não pode e dá cadeia, é assim que funciona a vida em civilização. E ainda bem.
Aí a Eloá não perdoou pq está morta, e complica, pq se for assim, apenas os homicídios seriam puníveis? Todas as vítimas que sobrevivem e eventualmente perdoam seus algozes tem o poder de anular o julgamento? Pq esse julgamento ainda está em aberto única e exclusivamente por causa da fuga dele, não de leniência da corte norte-americana. Esse sofrimento todo a que ela foi exposta, inclusive, é outro efeito colateral da fama e poder dele. Se ela tivesse sido estuprada por um zé ninguém, o julgamento teria sido rápido e a condenação, certa. Independente do perdão dela. Esse perdão, então, ele faz parte da extensão e da dimensão que as coisas tomaram. Não estou jogando fora o perdão dela, estou dizendo que ele, assim como seu pedido de extinção do assunto, não dão conta de encerrar o assunto.

Digamos que a pedido dela o caso seja arquivado. Se ela mudar de ideia no dia seguinte e disser que quer o Polanski preso, você defenderia uma reabertura do caso?

Anonymous disse...

inaceitável, a garota foi estuprada, não interessa a idade, o autor do crime tem que ser punido, independente quem seja.
agora o x da questão, por que não foi preso quando praticou o crime? eu não entendo de leis de extradição. pois é questão que me intriga. exemplo, recentemente uma brasileira atropelou e matou uma menina de 7 anos, imediatamente pegou avião, e foi embora pro brasil. e tá lá leve e solta, e não é caso único.
um beijo aline
madoka

Désir La Vie disse...

Estava há pouco conversando com um amigo sobre o caso...Mas notei que o teor das impressões/e dos argumentos utilizados por ele, íam muito próximo de um libertarismo-machista.

Vem com aquela lenga-lenga: 'Mas vai saber, será que foi assim mesmo? Será que ela não quis? Eu sou professor e têm inúmeras meninas de 14/15 anos se insinuando pra mim...'

Depois veio com outra, do tipo: 'O homem e a mulher sentem tesão um pelo outro, indiferente de idade, devido à algo instintivo, e se uma menina de 15/16 se joga pra cima de mim? O que faço? E se ela quer dar pra mim, o que faço? Não devo transar com ela, mesmo que ela deseje verdadeiramente?'

Sinnnnnnnta...

Pelo que consegui notar, pra ele, a menina já sexualizada é a vilã. Oras, veja só, até tem tesão pelo professor beeem mais velho. Já ele...Bem, ele é um coitado que não pode fazer muita coisa praquela biscatinha que já chupou o pau de meia sala, a não ser comê-la - O que seria melhor e mais prazeroso para ambos.
E não que ele transaria - ou não- com uma garota, o que nem vem ao caso, mas sim o que pensa sobre.

Sinceramente, cara, sou completamente contra o moralismo, mas como a Lu já disse, é necessário haver o bom-senso. (e meu, não tem como não falar em ética). Porra, um moleque de 15/16 anos é um menino, não um homem...Assim como as meninas.

Também fui obrigada a ouvir os clichês mais manjados de todo universo, do tipo: 'Mas o que define e qual a diferença entre transar com uma de 15/16 e uma de 18? Praticamente nenhuma.'

Acho que o lance aqui, mais um vez, é o mesmíssimo bom-senso de outrora. Pra mim, ainda que legalmente el@ não seja mais um(@) menin@, ainda continua sendo...

Olha, tem hora que fico desnorteada com coisas que ouço. E é tão comum...

Tem cara que não consegue enxergar uma 'menina-não-virgem' como uma 'menina sexualizada', mas ainda assim menina; mas sim como uma mulher.
É muito próximo do que coloquei lá no blog da Haline:
A menina tem que cuidar da flor, porque depois que desabrocha, minha filha, não tem mais o mesmo valor...
(Ps.: Você acredita que eu ouvia isso quando menina? Pois é, nem eu.)
____


Agora sobre o caso Polanski....
Meu, assim como você, também penso que indifere o que Samantha pensa e diz hoje.
Acredito mesmo que ela está farta, cansada da proporção midiática que o caso acabou levando.

O fato é que ele à induziu ao ato sexual, com bebidas e drogas-, e depois a estuprou. E PUTAQUEPARIU, ainda teve a audácia de perguntar se ela estava ou não no período fértil!

Sinto muitíssimo por Samantha ter passado pelo que passou. E embora eu até entenda o perdão à Polanski, meu queixo ainda vai continuar no chão...

:(

Luisa disse...

Désir La Vie disse algo sobre o bom senso. Eu lembro de ter lido algo no blog da Aline que uma pessoa poder reclamar por haver nascido feia, coxa, mas jamais poderia dizer: "Eu nasci sem bom senso"..
Alguém aqui já viveu alguma situação em que pensou: "Pqp, mas será que ninguém enxerga que isso é absurdo??". E é algo tão frequente que às vezes chego a duvidar do bom senso dos demais.. e inclusive chego a pensar que sou EU a "desajustada" e não aquele "todomundo". E acredito que o bom senso é até mesmo RELATIVO!
Sinto às vezes que o bom senso é algo meu e pronto e que o povo ao meu redor nasceu sem e que os políticos definitivamente jamais o conheceram...
Gostaria de dizer que em NENHUM MOMENTO defendo ou eximo de culpa a este homem. Simplesmente creio que o bom senso não pinta muito numa situação como essa. Não julgaria uma pessoa por ter desejos sexuais com um menor, mas sim por concretizá-los. Existe uma enorme diferença entre desejar que a pessoa que te magoou um dia possa sentir o mesmo que você, por exemplo, ou simplesmente apertar o gatilho e acabar com a vida dela.
É como disse a Aline: "Estuprar não pode e dá cadeia". A vida em sociedade é assim e não se pode fazer tudo aquilo que se deseja.

Marcus disse...

A sociedade não vai ficar mais protegida se Polanski for preso. O que a sociedade quer, hoje, é um ato simbólico, um castigo para dar exemplo, mais ou menos como quando as pessoas se reuniam na praça pra assistir um enforcamento.

O crime já estaria prescrito em quase todas as sociedades civilizadas, mas como foi cometido naquela onde impera o fascismo penal, onde há 25% de todos os encarcerados do planeta, ele não prescreverá nunca. O instituto da prescrição é uma conquista do civilização, mas os Estados Unidos estão alheios a isso.

Você não tem como afirmar que a proposta de acordo judicial se deu por que ele era o Polanski. Mas eu tenho como afirmar, com certeza absoluta, que se ele não fosse o Polanski, o caso já teria sido esquecido e nunca mais falaríamos dele.

A vítima o perdoou. Há bastante tempo, e nada indica que isso vá mudar. Perdão não é algo que se retira.

aline disse...

Madoka, eu tbm não sei como funciona a extradição. Mas sei q ele não ficou preso porque fugiu.
Bjos :)

Van, eu acho que existe muito moralismo no que concerne a sexualidade dos adolescentes. Uma garota de 13, 14 anos não está plenamente desenvolvida mas pode sentir vontade de transar. A sexualidade não é uma coisa que simplesmente começa, num belo dia, quando seu corpo tem uma idade x. E ela tbm nunca é dissociada do contexto e dos relacionamentos. Uma coisa são dois adolescentes transarem pq estão excitados, estão experimentando e descobrindo as coisas, outra bem diferente é um adulto obrigar ou coagir um adolescente pra fazer sexo.
Concorco com o q vc disse sobre o Polanski, sobre o pragmatismo dele.

Luisa, é concordo. Sobre o bom senso e tal. Descartes diz isso, que bom senso é a coisa mais bem distribuída, pq ngm crê que nasceu sem. :)
Eu gostei do que vc falou de não condenar um cara q sinta desejo por uma menina, mas condenar quem leva o desejo adiante e estupra. é uma das coisas que se discute muito hoje, como entender e lidar com esse desejo que alguns sentem. Se olhamos como patologia, como perversão, como crime. E, percebendo a delicadeza e os riscos do assunto, concordo com vc.
bjos

Iara disse...

Não tem absolutamente nada a ver misturar o trabalho do cara com o crime. O Dr. Roger Abdelmassih foi responsável pelo nascimento de muitas crianças saudáveis, fez muitas famílias felizes. E, lógico, isso é bacana. Invalida o fato dele ter abusado de tantas outras?

Sabe o que me irrita nesse papo? O maniqueísmo bandido x mocinho. Porque ninguém é mocinho ou bandido, as pessoas são mais complexas que isso. Então, acho que o Roman Polanski fez é repulsivo e merece ser punido. O que não significa demonizá-lo, achar que tem morrer, sugerir castração química. E o mesmo discurso extremo se aplica a menina. Porque é flor inocente, ou putinha oferecida, entende? Não pode olhar pra ela com complexidade, como uma menina sexualizada, sim, mas que disse "não" pro Polanski e que tinha que ser respeitada. Porra, tão difícil pras pessoas entender isso?

O complicado é que o processo nos EUA foi todo equivocado. Ele foi condenado por sexo com menor de idade e não por estupro. Então o discurso "free Polanski" é baseado no processo e não no fato. E se sexo com menor de idade pode ser contextualizado, reavaliado, "cada caso é um caso" (e realmente acredito nisso, porque comecei minha vida sexual com um cara bons anos mais velho que eu, e acho que foi muito bacana), etc, estupro é crime e acabou, não tem brecha pra discussão.

aline disse...

Marcus

Comparar a reação das pessoas, hoje, e dizer que é "mais ou menos como quando as pessoas se reuniam na praça pra assistir um enforcamento" é bem provocativo, né? Não vou nem começar a falar das diferenças.

O crime já teria prescrito numa sociedade civilizada, mas não prescreveu. Vc pode por os EUA abaixo e dizer que afinal eles não são nada civilizados. Só que Polanski não estaria nessa situação se não tivesse estuprado a menina, então empatamos. Porque, afinal de contas, ele a estuprou. Também não se trata de um cavalheiro, digamos, civilizado.
No mais, vc disse que defende a libertação de Polanski baseado no perdão da Samantha, porque ela pediu que o assunto fosse encerrado e assim estaríamos sendo solidários a ela. Se ela ainda quisesse a prisão dele, mesmo depois de tantos anos, seria ela uma incivilizada fascista? Ou aí o espetáculo do enforcamento estaria justificado? Então o que vc está defendendo é que nossa noção de direito penal, julgamento e punição estejam submetidas à posição da vítima sobre o caso?

O acordo seria o mesmo, independente de quem fosse o estuprador? Será? E qualquer homem teria fugido e encontrado apoio da elite cultural, inclusive a norte-americana, que paradoxalmente compõe esse país incivilizado que são os EUA?

Certezas, mesmo, eu acho que nem eu nem vc podemos ter quanto aos " como seria se" dessa história. Mas o fato de ele ser um estuprador e um fugitivo, não tem como.

aline disse...

Iara,

"O maniqueísmo bandido x mocinho. Porque ninguém é mocinho ou bandido, as pessoas são mais complexas que isso. Então, acho que o Roman Polanski fez é repulsivo e merece ser punido. O que não significa demonizá-lo, achar que tem morrer, sugerir castração química. E o mesmo discurso extremo se aplica a menina. Porque é flor inocente, ou putinha oferecida, entende? Não pode olhar pra ela com complexidade, como uma menina sexualizada, sim, mas que disse "não" pro Polanski e que tinha que ser respeitada. Porra, tão difícil pras pessoas entender isso?"

Meu, é isso. Concordo com seu comentário inteiro. E o final, é impecável. Ela disse não. Só de ler o depoimento dela, aos 13, dá pra ver que foi uma situação terrível. Varrer pra debaixo do tapete em nome da arte dele não faz sentido. Quem vai pra cadeia é o Polanski, não os filmes.

Paulo disse...

Marcus,

"O que a sociedade quer, hoje, é um ato simbólico, um castigo para dar exemplo."

Não é só simbólico. É a punição que ele teria recebido, agregada à punição por ter fugido. Ele estava plenamente consciente do ônus de seus crimes.
E se ele não for punido, isso tbm pode ser considerado simbólico, mas da impunidade. Que só será possível por conta do status dele e não por causa da vontade da vítima, por exemplo.

Eu concordo com vc que os EUA tem um problema na compreensão de crimes sexuais. Isso não significa que todo caso de violência sexual lá seja julgada de maneira equivocada. Nesse caso, aliás, ocorreu um abrandamento.

Ana disse...

*A* frase que faltava.

Nao consigo entender como um cara, soh por ter dirigido meia duzia de filmes bons, consegue despertar mais sensibilidade nas pessoas do que a vitima e seu depoimento tao horrivel. Nao consigo mesmo.

Sidney disse...

Peço licença para te contrariar, mas eu acho que vc toma posturas de acordo com a sua conveniência. Alguns posts atrás vc celebrava a prescrição de um crime o qual VC cometeu. Aborto tbm é errado e é crime perante nossa sociedade. Vc fez mesmo assim, vc contou no blog mesmo assim. Vários aplaudiram mas eu achei bem triste.
A mocinha aí em cima também veio falar que fez sexo com um cara mais velho quando era adolescente. Então tudo pode, desde que eu tenha feito também e tenha achado aceitável. Nada a ver com leis e valores da sociedade. Só vosso umbigo.
Um pouco hipócrita, não acha, minha cara?

Iara disse...

Ô Sidney,

A "mocinha" a quem você se refere é uma mulher de quase 30 anos que, quando adolescente, viveu uma relação de 2 anos, baseada em amor e respeito profundos, com um homem mais velho. Sim, ele me apresentou o sexo. E não, isso não é crime. E não admito que esse homem que só me fez bem seja comparado a um estuprador ou a um pedófilo.

Colocar no mesmo saco o sexo com menor de idade (que, no caso da minha história, não era crime, porque eu já tinha mais de 14 anos), com aborto (que ainda é crime no Brasil, mas em uma série de países civilizados é uma questão de saúde pública) e estupro (que é indiscutívelmente crime no mundo civilizado) é de uma desonestidade intelectual tão grande, que eu tenho vergonha por você, cara. Sério.

aline disse...

Ana, é, eu tbm não entendo. Aliás, entendo. Tem gente que é cruel assim, ponto.


Falando em crueldade, Sidney, eu acho que a Iara já te dedicou mais palavras do que vc merece. Se vc é desses que acham que um estupro, um aborto e (afe) sexo com um homem mais velho são coisas aproximáveis, minimamente aproximáveis, então vc veio parar no lugar errado. Porque além de não convencer ninguém, vc não vai conseguir exaltar os ânimos do jeito que os estrupícios costumam gostar de fazer. Não há nada em vc que possa despertar meu interesse, pra mim vc é como, sei lá, como lixo mesmo. Completamente repulsivo e vazio. Não tem conversa com vc, não tem contra-argumento pra vc. Não tem nada aqui pra vc, a verdade é essa. Pq vc Sidney, é isso: ninguém, nada, nunca.

Iara, um abraço.

Désir La Vie disse...

Que comparação horrorosa a desse Sidney. Espero de todo meu coração não ter pessoas do meu convívio que pensem como ele....

Lamentável!

Wagner Beethoven disse...

o ato sexual com uma CRIANÇA de 13 anos como fala a matéria 'linkada (?)' do Estadão não há motivos pra pensar qualquer coisa a não ser punir esse homem, mesmo sendo o talentoso como é, seu talento não é reflexo de seus atos.

infelizmente (eu realmente espero que não seja felizmente) Polanski nao vai sair mais da prisão!

Agora a menina ter perdoado e ainda está viva, isso deve ser levando em consideração.

No caso da falecida Eloá, como dizem, Inês está morta, então não há mais o que ela falar, a não ser a mãe dela.

Ai vemos outro ponto de vista, a mãe, MÃE, perdoar o ASSASSINO da sua filha é muita, mas muita evolução espiritual viu.

Parabéns pelo blog.

aline disse...

Foda, Van. Fo-da.

Wagner, obrigada.

João Ricardo disse...

O cara é gente boa, fez bons filmes, pega leve... isso acontece, diria um cara que eu conheci... acontece, caras gente fina que perdem a linha uma hora, mas são gente fina no fundo. Agora, pelo visto a menina já nasceu sem linha, né?
Por mim iria preso, mas é a família que deve perdoar, não cabe a nós julgar.

Não impressione-se facilmente. Uma vez eu vi um cara defender um preso por estupro a uma garota de 4 anos (quatro) na minha frente... na cara mesmo, não pela net. A justificativa é que o cara era gente boa.

João Ricardo disse...

Putz... é "não se impressione" e não "não impressione-se" pois o não puxa o "se". Foi mal.

lu disse...

esse joão ricardo é uma piada ambulante.

Postar um comentário

Diga lá.